Pedaços de Alcongosta

Instantâneos da Terra da Cereja


Passados dois anos do falecimento do Ti Zé da Encarnação, nos últimos anos o grande embaixador do esparto, a par da cestaria uma das imagens vincadas de Alcongosta e até há algumas décadas sustento de muitas famílias, aqui ficam algumas peças da sua lavra.

07 novembro 2017

Soror Filippa de São Thiago



Presidente: António Veríssimo Dias

Presidente: José Correia Henriques

Presidente: José Correia Henriques

Presidente: Carlos Alberto Correia Rolão

Presidente: Carlos Alberto Correia Rolão

Presidente: Carlos Alberto Correia Rolão

Presidente: Carlos Alberto Correia Rolão

2001:
Presidente: Carlos Alberto Correia Rolão

2005:
Presidente: Luís Manuel dos Santos Martins

2009:
Presidente: Luís Manuel dos Santos Martins



Presidente: António Miguel Ferreira Batista


Presidente: Vítor José Batista Félix




A população já teve a possibilidade de escolher os seus representantes locais por 12 vezes. Desde Dezembro de 1976, altura em que se realizaram as primeiras Eleições Autárquicas, Alcongosta teve seis presidentes de junta. Um deles durante cinco mandatos (!).

Durante esse período, entre 1985 e 2005, o PS chegou a obter votações na ordem dos impressionantes 81%. Uma maioria tão expressiva e desequilibrada que fez com que durante três mandatos a correlação de forças na Assembleia de Freguesia fosse de 6 para 1.

O primeiro executivo eleito da Junta de Freguesia de Alcongosta foi liderado por António Dias, eleito pelo CDS, vencendo por uma curta margem de 22 votos a lista socialista, numa altura em que a nossa terra tinha quase o dobro da população actual. Em 2005 a diferença seria novamente 22 votos.

Por falar em curta margem, por duas vezes o executivo em Alcongosta foi eleito por apenas três votos de diferença. Aconteceu em 1979, quando a Aliança Democrática (AD), de centro-direita, composta pelo PSD-CDS e PPM ganhou à Aliança Povo Unido (APU), coligação de centro-esquerda, formada pela Frente Socialista Popular, Partido Comunista, Movimento Democrático Unitário- Comissão Democrática Eleitoral (MDP/CDE) e Os Verdes (PEV). Em 2013 voltaria a suceder, ficando o PSD com quatro eleitos e o PS com três. 








O Natura Glamping, situado na Casa do Guarda de Alcongosta, promove, no dia 28 de Outubro, uma iniciativa aberta ao público em geral, que mistura yoga, poesia e astronomia, com entrada gratuita. 
O evento inclui um jantar, às 20h, com preço sob consulta. 




Está aí à porta mais uma edição da caminhada Rota dos Castanheiros, que se realiza em Alcongosta num cenário pautado pelas cores do Outono, um percurso muito afectado pelo grande incêndio da Gardunha, mas que certamente terá muitos motivos de interesse.

É já a 12 de Novembro e, como é habitual, a seguir ao almoço há magusto e convívio na Praça.


PROGRAMA:
8:30 – Concentração na junta de freguesia de Alcongosta e pequeno-almoço.
9:00 – Início da Actividade.
13:00 – Almoço (Junta de Freguesia de Alcongosta).
14:30 – Início do Magusto Tradicional aberto aos participantes da actividade e à população de Alcongosta.
18:00 – Encerramento da Actividade.

* Percurso com extensão aproximada de 12 Km's e grau de dificuldade médio/baixo.

RECOMENDAÇÕES:
- Calçado cómodo e já habituado ao pé, preferencialmente botas de marcha.
- Peúgas macias, sem costuras.
- Roupa adequada ao estado do tempo.
- Máquina fotográfica para mais tarde recordar… e uma mochila cheia de boa disposição!

INSCRIÇÕES E METODO DE PAGAMENTO:
Sócios - 7Castanheiros.
Não sócio - 9Castanheiros.
(Inclui almoço e seguro )
- Menores de 12 anos isentos.
(Inclui almoço e seguro)
- Inscrições devem ser efectuadas até ao prazo limite, 10 de Novembro de 2017.
- Para pagamentos por transferência bancária:
NIB: 004540204016861085787
(Agradecemos o envio do respectivo comprovativo)

CUIDADOS ESPECIAIS E NORMAS DE CONDUTA:
- Cuidado com o gado. Embora manso não gosta da aproximação de estranhos às suas crias;
- Evitar barulhos e atitudes que perturbem a paz do local;
- Observar a fauna à distância preferencialmente com binóculos;
- Não danificar a flora;
- Não abandonar lixo, somos ecológicos! levando assim o lixo até um local onde haja serviço de recolha;
- Não fazer lume;
- Não colher amostras de plantas ou rochas;

GARDUNHA VIVA -
Associação de Montanhismo do Fundão
Apartado 171
6230-909 Fundão
Tel/Fax: 275 772 082
Telem: 961 720 904 | 961 720 905 | 967 994 352
e-mail: geral@gardunhaviva.com

ONDE ENTREGAR SEMENTES?
Quem quiser colaborar no esforço de reflorestação da Serra da Gardunha pode recolher sementes (bolotas de carvalho, azinheira, sobreira ou outras sementes) e entregá-las na nossa sede na quarta-feira entre as 18h30 e as 20h00. Outra possibilidade passar por fazer a entrega directamente no viveiro a funcionar no antigo Seminário do Fundão (contactar 925 909 016).

Para além de várias iniciativas com recolha de sementes, temos também prevista a realização de workshops de tratamento e sementeira para que todos possam aprender a cultivar as suas próprias árvores para as plantar mais tarde na Gardunha. 



O Octógono recebe esta sexta-feira, 20, a banda Chk Chk Chk (quem conseguir pronunciar este nome, faça o favor), que sobe ao palco à meia-noite. 
Nesta digressão a banda vai aproveitar para dar a conhecer o seu sétimo álbum, "Shake The Shudder", aditado em Maio. 
A entrada custa 15 euros. 


Votação para a Assembleia de Freguesia de Alcongosta:

O PS venceu as eleições para a Junta de Freguesia de Alcongosta, com mais 13 votos do que o movimento independente Alcongosta Precisa de Todos, apoiado pelo PSD. 
Da votação destaca-se a elevada participação, com 79% dos eleitores a exercerem o seu direito. 
A lamentar há a redução de 39 inscritos na freguesia em relação há quatro anos.



Quadro comparativo da votação para a Assembleia de Freguesia de Alcongosta em 2017 e 2013:



Votação para a Câmara Municipal do Fundão:

Votação para a Assembleia Municipal do Fundão:





24 setembro 2017

Casamento do Mendes "Rico"




Imagens, com pelo menos 80 anos, do casamento de Lucinda Baltazar e de José Mendes. A criança a acompanhar é Maria Teresa Amaro. (Fotos partilhadas por António Neves Dias).





CDU, PS, PSD e CDS.


O Bloco de Esquerda concorre exclusivamente à Assembleia Municipal:










12 setembro 2017

E fez-se festa!



06 setembro 2017

A procissão no retrovisor











20 agosto 2017

Cartaz da Festa


16 agosto 2017

Cinza e negro









A nossa Serra da Gardunha ardeu. Outra vez. Desta feita de um limite ao outro, sem contemplações. Ontem e hoje viveram-se momentos de aflição em Alcongosta, quando as chamas, ameaçadoras, engoliram o verde, entraram no limite da área urbana e assobiaram com violência junto às paredes das casas do Cimo do Povo e do Casal da Ponte.
As pessoas estão cansadas, exaustas, tristes, incrédulas. Não dá, neste momento, para ter uma ideia global dos estragos. Perderam-se pomares. Muita gente perdeu o trabalho de muitos anos. Amanhã será outro dia. Um dia cinzento, por certo, apesar do calor. O cinza do estado de espírito das nossas gentes e o cinza que vamos ver ao acordar e que vai dominar a paisagem nos próximos tempos.
Não é hora de pensar nas consequências de quando vierem as primeiras chuvas. Não é hora de apontar o dedo. Esse momento chegará e oxalá tenha repercussões.

Em Alcongosta, Fundão, as chamas não deram tempo “nem para rezar”.

Na aldeia de Alcongosta, no concelho do Fundão, os habitantes andaram "noite e dia" de coração nas mãos, por causa de um fogo que foi e voltou, não dando sequer tempo para rezar.O incêndio não deixou ninguém descansar, ameaçando a aldeia de Alcongosta desde segunda-feira."Tentei salvar o que tinha: foi agarrar na mangueira e regar tudo enquanto houve água", disse à agência Lusa João Miguel, com ar cansado e desalentado, que fala de um incêndio que provocou um "barulho ensurdecedor"."Estou com o coração nas mãos", diz o habitante, enquanto os familiares convencem-no a ir para o centro da aldeia, por causa do fumo.A alguns metros de João Miguel, Encarnação Rolão protege-se do fumo com um lenço. Está sentada, depois de horas a tentar defender a casa da filha."Chegou mesmo aqui", frisa, apontando para as traseiras da habitação.Encarnação fala de "uma tristeza", que não sabe quando acaba.Já o presidente da junta de freguesia de Alcongosta, Miguel Baptista, acredita que, depois do dia de hoje, as chamas já não voltam com a mesma intensidade, "porque ardeu tudo o que tinha para arder".Na aldeia, "fez-se tudo o que se conseguiu e protegeram-se as casas", conta, garantindo que no perímetro da aldeia a Serra da Gardunha estava limpa."Já vi outros fogos, mas nunca um tão violento como o de hoje", sublinha Joaquim Fortunato, de 71 anos, que diz que "a noite foi igual ao dia: sempre com muito medo do pior".Do cimo da aldeia de Alcongosta, onde o fogo chegou perto das casas, não se vê nada em redor - apenas fumo.O presidente da Câmara, Paulo Fernandes, viu hoje um descontrolo das chamas que já tinha constatado na segunda-feira ao final do dia, classificando por diversas vezes a situação como "dramática" e apelando constantemente a um reforço de meios."É um inferno", vinca.De acordo com o autarca, as chamas progridem em Vale de Prazeres e em direcção ao Alcaide, havendo também uma frente descontrolada em direcção, novamente, à sede de freguesia de Souto da Casa.Lusa

 Em Alcongosta, Fundão, as chamas não deram tempo “nem para rezar”/ Negócios